quinta-feira, 31 de janeiro de 2008

Caos em Florianópolis.

- Tá chovendo desde de manhã.
- Deixa, uma hora para...


Hoje as sandálias não nos deram o ar da graça pelo simples motivo que chove de mais, e a piscina transbordou.
Não é mais preciso varrer a varanda.

Francamente, pôxa.


Ainda fiquei sem poder ver meu (L).

___

Mais um desabafo.

A minha mãe, como boa representante do seu ofício, sabe exagerar como ninguém. Dramas são frequentes e estamos constantemente em estado de emergência.

Se já não bastassem as fábulas conspiratórias e malignas criadas por sua forte criatividade, ainda não tem paciência e é temperada com aquele leve (mas não menos ácido) gostinho feminino, sabe? Descontrolada, inconstante, pessimista, destrutiva... Aí de quem se meter a sua frente e não se submeter a 'vossa vontade'! Ela atira mesmo e tem sob sua culpa a desculpa de que apenas está "naqueles dias".

quarta-feira, 30 de janeiro de 2008

Um passo ao niilismo.

Naquilo que vejo nao existo nem incido. Apenas vejo, recebo.



Para aqueles que acreditam serem apenas pedaços de matéria aleatoriamente organizados no espaço, a fé está na criação!
A busca incessante é pela imortalidade já que a mortalidade é nossa única maldição certa pós-concepção.
O medo... O medo está em não ser lembrado, ser fruto passageiro que não nutriu absolutamente nada. E está a verdadeira busca e conquista de uma imortalidade moral.

Um Novo Universo.

Desejo-me as devidas boas-vindas ao recinto.

- Já pode ligar a música?